EUsouMS 2020.png

 ÚLTIMAS NOTÍCIAS:  Sebrae orienta empresários em tempo de pandemia

BANNER SITE - GALERIA MEIA SETE.jpg
  • Divulgação | FCMS

Com apoio do FIC, grupo circula o Estado com “Mborahéi Rapére – Pelas trilhas do canto”


“Mborahéi Rapére – Pelas trilhas do Canto” é o nome do espetáculo que o coletivo Veraju está levando às comunidades indígenas de Amambai, Caarapó, Dourados, Douradina e Campo Grande, assim como aos palcos das cidades de Amambai, Campo Grande, Dourados, Ponta Porã e Asunción, no Paraguai. Nestas cidades serão oferecidas também oficinas sobre o processo criativo de produção e montagem do espetáculo, assim como sobre a concepção kaiowá e guarani de corpo, alma e palavra cantada.

O espetáculo “Mborahéi Rapére – Pelas trilhas do canto” é uma releitura de cantos indígenas, em especial os dos Kaiowá, explorando diversas possibilidades harmônicas, rítmicas, melódicas e cosmológicas dessas canções, razão pela qual o trabalho cênico-musical se desenvolve também com base em mitos e danças indígenas, considerados tradicionais pelas comunidades. A percepção Guarani e Kaiowá da realidade está presente do começo ao fim do espetáculo e introduz o público nos caminhos da palavra-cantada, nos seus símbolos e significados, nas reivindicações que elas exprimem, na beleza. O repertório inclui cantos dos grupos étnicos Mbyá, Huni Kuin, Shipibo e Krahô.

O projeto surgiu dos projetos “Cantos e Danças Indígenas” e “Música Indígena no Palco”, que reuniu artistas, docentes e estudantes das artes e da história indígena, com interesse na música indígena local. O encontro e a partilha entre estas pessoas e as comunidades indígenas Guarani e Kaiowá de Dourados e Douradina resultou em uma criação colaborativa que proporcionou um diálogo entre a matriz cultural indígena e as linguagens do circo, do teatro e da performance.

O grupo contou com a orientação das mestras tradicionais das comunidades indígenas: Floriza Sousa da Silva, da aldeia Jaguapiru; Tereza Martins, da aldeia Bororó; Nona Merenciana, do Itay;

Adelina (Merina) Ramona e Neusa Concianza, do Guyra Kambiy; além da orientação da professora Graciela Chamorro, da etnomusicóloga Magda Pucci (Grupo Mawaca/SP) e da artista Arami Marschner. O espetáculo conta com a participação especial do grupo de canto Okaraguyje Taperendy, da comunidade Kaiowa de Itay (Douradina/MS), coordenado por Joel Hilton.

O grupo ministrará também oficinas em Campo Grande, Dourados, Ponta Porã e Assunção, sobre as práticas corporais e vocais que deram corpo ao trabalho cênico, frutos das danças e dos cantos indígenas em composição com os conhecimentos e técnicas corporais do grupo. Tais ações fazem parte, junto com o espetáculo, do projeto de circulação premiado pelo FIC 2015/2016. O financiamento é da Secretaria de Estado de Cultura e Cidadania – SEEC, Fundo de Investimentos Culturais de Mato Grosso do Sul (FIC/MS). A realização é do coletivo Veraju e da Associação Casulo – Espaço de Cultura e Arte. Entre os apoiadores, temos a UFGD (PROEX, FCH, FACALE), a Secretaria Municipal de Cultura, a Casa dos Ventos, a UEMS, a UCDB, a Prefeitura de Ponta Porã, a JIGA – Jovens Indígenas Guarani Kaiowa em Ação, a Escola SESI de Dourados e as Escolas Indígenas mencionadas abaixo.

Serviço:

Dia 22/02 8h Apresentação espetáculo Mborahéi Rapére – Hall da Escola Municipal Indígena “Joãzinho Karapé” da Aldeia Panambi Douradina!

Dia 22/02 10h00 Apresentação espetáculo Mborahéi Rapére – Pátio da Escola Municipal Indígena Pa’i Chiquito de Panambi/Dourados

Dia 22/02 13h Apresentação espetáculo Mborahéi Rapére – Hall da Escola Municipal Indígena

Laku’i de Dourados

Dia 23/02 14h30 Apresentação espetáculo Mborahéi Rapére – Escola Municipal Indígena

Ñandejára de Caarapó

Dia 26/02 14h Apresentação espetáculo Mborahéi Rapére – Hall Escola Estadual da reserva indígena de Amambai para estudantes e docentes das escolas indígenas de Amambai e Limão Verde

Dia 02/03 20h Apresentação espetáculo Mborahéi Rapére – Teatro Municipal de Dourados, participação especial do grupo Okáraguyje Taperendy.

Dia 04/03 15h – Apresentação espetáculo Mborahéi Rapére – OKA Aldeia Urbana Água Bonita de Campo Grande

Dia 05/03 20:00h – Apresentação espetáculo Mborahéi Rapére – Teatro do Bloco A Campus da UCDB Campo Grande

Dia 07/03 14:00h – Apresentação espetáculo Mborahéi Rapére – Teatro do Centro de Convenções de Ponta Porã

Dia 09/03 16:00h – Apresentação espetáculo Mborahéi Rapére – Teatro Tom Jobim do Centro Cultural da Embaixada do Brasil em Assunção Paraguai

A entrada é gratuita, sendo que nas apresentações nos teatros solicitamos uma contribuição espontânea de alimentos não perecíveis, brinquedos e livros infantis.

Mais informações: https://pt-br.facebook.com/casuloarte/

#diversão #relax

LIGUE 188 CVV CENTRO DE VALORIZACAO A VI
Fraternidade_sem_Fronteiras_lança_camp

© 2020 #EUsouMS 

Onde devo ir? Quem devo conhecer? Qual comida tenho que experimentar? Essas são algumas das perguntas fundamentais que nós fazemos diariamente. Com este espaço queremos mostrar para todos qual é a identidade do nosso estado. Este site surgiu com um único propósito: Ser o local de encontro e de referência da cultura, das pessoas, dos sabores e dos lugares do Mato Grosso do Sul. Por isso leia, conheça, compartilhe e viva o MS com a gente! 

Sugestão de pauta? contato.eusoums@gmail.com

  • Branco Facebook Ícone
  • Branco Twitter Ícone
  • Branca Ícone Instagram