EUsouMS SESSION PLANA.png
respire 6.gif
BANNER SITE - GALERIA MEIA SETE.jpg

Aluno do Sesc representa o judô de Mato Grosso do Sul nos Jogos Escolares Brasileiros

O aluno de Judô do Sesc Camillo Boni, Lucas Garone Lima vai representar Mato Grosso do Sul nos Jogos Escolares Brasileiros (JEBs), que serão realizados de29 de outubro a 5 de novembro, no Rio de Janeiro. Lucas, que nomês passado ganhou a fase municipal dos jogos escolares, no último final de semana saiu vitorioso de uma sequência de quatro lutas, todas por ippon (o ponto máximo do judô).


Lucas começou a treinar aos oito anos e hoje está com 14. É um exemplo de perseverança e determinação, conta a sensei Emory Alves Spontoni. “Não era o aluno com melhor desempenho, porque tinha pouca coordenação, mas muito esforçado. Então, começamos os trabalhos e desde 2016 ele participa de competições”.



Nas duas primeiras temporadas não classificou em nenhuma das competições; em 2018 começou a despontar com vitórias, em 2019 obteve, então, sua maior conquista, indo para o campeonato brasileiro, etapa regional, em Ji-Paraná (RO) e classificando para 2020. Porém, a pandemia adiou as competições. Com a retomada, neste ano de 2021 Lucas mais uma vez se destaca vencendo a etapa municipal e passando pela estadual e no final de outubro segue para os JEBs (Jogos Escolares Brasileiros). “O Lucas é um aluno muito determinado, também trabalha seu condicionamento muscular na academia do Sesc Camillo Boni e não falta um dia de treino”, conta a sensei.


A mãe do atleta, Ynara Garone, conta que Lucas tem o sonho olímpico. No início, também fazia futsal, mas optou pela dedicação exclusiva ao judô, por ser uma modalidade individual. “Na nossa vida em família é muito importante porque o esporte traz objetivos diferentes. Talvez se ele não estivesse no judô ficasse somente no celular, como outros adolescentes”. Lucas não perde o foco. Para participar da seletiva, faz treinos musculares diários e três vezes por semana, judô e eliminou oito quilos. “Ele já quebrou o braço no tatame e voltou treinar, persistiu. A primeira medalha demorou a chegar, veio no dia do meu aniversário. No ano de 2019 foram seis medalhas, uma de prata, três de bronze e uma de ouro. No ano passado ele ganhou duas medalhas, mas veio a pandemia, mesmo assim ele continuou treinando”.


A mãe não contém o contentamento de ver o filho partir para a etapa nacional. “A maior emoção da minha vida é saber que ele entrou no tatame e cumpriu a parte dele e que a Emory cumpriu a parte dela, porque acredito que ela esteja muito contente pelo atleta que está formando”.

0 comentário
Fraternidade_sem_Fronteiras_lança_camp
Captura de Tela 2021-01-14 às 08.39.19.p
Video.gif

 ÚLTIMAS NOTÍCIAS:  #EUsouMS Entrevista: Descubra arte com a Galeria MEIA SETE

EUsouMS 2020.png