top of page

Animação e homenagens marcam estreia de Sarau no Parque na região do Anhanduizinho

Com homenagem a quem fez história no Hipódromo Jockey Club, o senhor Paulo Vicente Ferreira, Sarau no Parque abre sua temporada na região do bairro Paulo Coelho Machado.


E a animação fez parada obrigatória no estacionamento do hipódromo Aguiar Pereira de Souza, mais conhecido por Jockey Club. É o Festival Sarau Cidadania e Cultura no Parque que chegou à região do Anhanduizinho, no bairro Paulo Coelho Machado para realizar sua 10ª edição, com uma programação que agradou ao público de todas as idades.


Por falar em diferentes gerações, uma homenagem entre cavalheiros marcou o evento. Isso porque o adolescente Gustavo Farias, de 13 anos de idade, que sonha em ser atleta profissional, fez uma entrada especial para homenagear um dos principais atletas do hipódromo, o senhor Paulo Vicente Ferreira, de 84 anos. Com traje de corrida e montado na égua, Pitica, animal de pequeno porte, cuidado pela família do homenageado, que já traz no currículo alguns troféus, o garoto aproximou o público da história do hipódromo.





“Meu sonho é ser um cavaleiro de corrida. Amo cavalos e treino com o Gustavo, que é filho do Seu Paulo. Quando eu fizer meus 15 anos, quero ver se consigo ir para São Paulo ou Rio de Janeiro, cidades onde estão os principais centros de treinamento e torneios. O que aprendi, agradeço muito aos dois”, afirmou o garoto.


Para o senhor Paulo Vicente que acompanha a evolução do garoto, à noite reservou ainda outra surpresa: a exibição de um curta, produzido pela produtora Thathy Dmeo, com imagens de arquivo, um depoimento dele sobre o passado glorioso de corridas e vitórias e, claro, o seu grande sacerdócio: a lida com os equinos.


“Agradeço de coração tudo o que vem sendo feito aqui. É uma forma de ressignificar este espaço que, em parte, está parado. Dentro do hipódromo, temos a parte das coxias em que cuidamos dos animais com todo amor e carinho. Mas, nosso maior sonho é que consigamos apoio para fazer deste lugar voltar à ativa e apresentar a outras crianças e jovens a arte ser um cavaleiro ou uma amazonas”, contou o ex-atleta, aposentado.


Acompanhando o pai, Paulo Vicente, a educadora Márcia Vicente, também agradeceu a chegada do Sarau no Parque e aproveitou para fazer um apelo. “É lindo ver as pessoas participando de um evento como esse. O hipódromo tem uma importância muito grande para Campo Grande por ser parte da sua história. Nosso maior anseio é revitalizar o prédio e oportunizar momentos de lazer e cultura como esse, por meio das corridas”, pontua ela que complementa. “Temos animais premiados dentro de nossas baías, eles disputam torneios de corridas em cidades como Bela Vista e Ponta Porã. Tenho dois irmãos, atletas, que moram na Europa, onde se dedicam às corridas. O sonho é que a gente possa ter oportunidades, aqui, também”.


Daí a relevância de aliar a cidadania à cultura como meio de fomentar a identidade cultural de um povo, como destaca o secretário de Estado de Cultura e Cidadania, Eduardo Romero.

“Um bom sarau tem esse papel de promover o resgate da nossa memória cultural, reforçando aos jovens a importância de reconhecermos o papel de nossos ascendentes, pessoas que tanto contribuíram com o desenvolvimento de nossa cidade. A programação é pensada para fomentar os talentos da nossa terra e, também, propor esse lugar de reflexão sobre o que fomos e para onde queremos ir enquanto cidadãos, agentes culturais”. E do que depender da animação do público, a iniciativa está mais que aprovada, como garantiu Rosa Luz de Anchieta, pedagoga, que acompanhada da filha Laura, de 5 anos, curtiu tudo do início ao fim. “Vez ou outra, trago minha filha para brincar na quadra de areia. Hoje, passei e me deparei com o sarau. Espero que o projeto tenha vida longa, porque é maravilhoso conhecer histórias de personalidades do próprio bairro e curtir artistas perto de casa”. A programação do Sarau no Parque incluiu artistas como Ana Cabral, banda V12, Jadi Custódio, Gio Resquim, Black is Back, Grupo Raízes, Soll, Ygor & Kauã, Dj Jr, DiBuenas e Rebeca da Costa Cruz, com música. Moira Junqueira e Kely Guavira com contação de histórias, Raquel Stainer, com monólogo, Fael Versos 067, com Hip Hop, e grupo Ava Tupã Mbaraka Yvoty, de Paranhos, com dança indígena. Pelos estandes, o público também viu os trabalhos de Chereza Sposito e Patrícia Ramos, no espaço Brincantes, Tânia Souza, na literatura, Sandra Padilha, na moda e design, Sarah Juventina, no artesanato, Pedro Henrique e Pedro Guilherme, nas artes visuais, Márcia Cristina da Costa Silva, com a tenda Cérebro, Instituição Magma, com espaço de gastronomia. Quem quiser conferir de perto tudo o que vem rolando pelo Sarau no Parque pode acessar as redes sociais, Instagram e Facebook , @saraunoparquems, ou se programar para ir na próxima edição do evento que continuará pelo estacionamento do Jockey Club, no próximo domingo, 11 de setembro, das 16h às 20h, na Av. Delegado Alfredo Hardman, s/n (entre as Ruas Medrado e Rua Ana Jacinta de Oliveira), Campo Grande, no estacionamento do Jockey Club. A entrada é franca.

0 comentário

Comments


Artes Livia  (Story)-3.png

 ÚLTIMAS NOTÍCIAS:  #EUsouMS Entrevista: Descubra arte com a Galeria MEIA SETE

#EUsouMS POSTS-4.png
bottom of page