top of page
facaseusite promo.png

CORES DA VIDA: Essa é para você que está no processo de emagrecimento

Oi, queridos leitores! Quanto tempo, não é? (Eu sempre volto)


Muitas coisas aconteceram por aqui, viu? Muitas mudanças nessa aventura chamada vida. E, uma das mudanças foi em relação a certos hábitos, por isso, resolvi compartilhar com vocês sobre isso.



Vamos conversar?


Não é fácil. Isso que eu sempre falo em relação à academia. Eu, quando mais nova, joguei e pratiquei esportes, mas depois eu parei. Fazia ocasionalmente, mas mesmo assim não praticava um esporte regularmente. Era sedentária “com orgulho” e não me orgulho disso, entende? Contraditório, eu sei.


Emagrecer é algo complicado em minha vida. Eu nasci um bebê gigante, ou seja, eu sempre fui grande, exceto na infância que era baixinha e gordinha. Mas sempre gorda. Hoje com 1,74 de altura, sou grandinha.


O que quero dizer com isso? É que eu sempre tive “um padrão”, sabe? Um padrão de beleza diferente do que as pessoas colocam como padrão.


Aos vinte e poucos anos, comecei a entender sobre meu corpo e entendi que ele era incrível, minha autoestima agradeceu e consegui uma segurança muito forte, o que pode ter sido ruim com o passar do tempo.


Quando você cria confiança, você acaba não tendo medo de algumas coisas. Foi assim, engordei muito e não me incomodava com isso. Procurei ajuda e emagreci. Mas depois o efeito sanfona me pegou de novo. Lembrando que: eu nunca cheguei em padrão de magreza e não menos que manequim 44.


Ano passado eu fui chamada pelos médicos porque eu precisava emagrecer, fazer exercícios físicos. Eu fiz isso? Não! Pelo contrário, continuei sedentária e sem emagrecer. Só que uma hora a conta chega, e ela chegou de forma avassaladora para mim. Ela chegou e me levou um pouco de saúde.


Fui “intimada” a fazer a cirurgia bariátrica. Mas, não queria. Relutei, não queria aceitar: e aquele processo todo de aceitação ia ficar como? Não podia deixar minha “identidade” mudar. E toda aquela construção e aceitação do meu corpo?


Mas, eu peguei exames que me fizeram repensar a vida. Repensar meus hábitos. Repensar como estava vivendo. Eu fiz, fiz a cirurgia e foi difícil no início, foi complicado tanto a aceitação quanto a adaptação. (Posso contar depois para vocês).


Estou há quase quatro meses de cirurgia. Não importa, (de verdade), o peso da balança. Até porque eu evito ficar me pesando para não ter mais uma pressão na cabeça. Não importa o que as pessoas falam da minha aparência. Até porque, quando alguém me elogia e fala que estou bonita, sei que não é por mal, mas me questiono: ué, eu era feia? (risos).


O que realmente importa é a luta diária que preciso ter comigo mesmo. E as pequenas conquistas, por exemplo, agora eu vou para academia todos os dias e sinto falta quando não vou. Meus exames estão normais e não tenho mais risco de diabete, enfim, são coisas que fazem valer a pena.


Então, se você está passando por um processo de emagrecimento, mudanças de hábitos, fique forte, você não está sozinho, você não está nessa luta isolado. Todo dia é uma vitória diferente, por mais clichê que pareça. E só depende de você!


É difícil, mas não é impossível. Pense nisso!


Até o próximo texto!


Com carinho,


Ary <3

2 comentários

Posts recentes

Ver tudo
Fraternidade_sem_Fronteiras_lança_camp
LIVRARIA CAMPO GRANDE MS.png

 ÚLTIMAS NOTÍCIAS:  #EUsouMS Entrevista: Descubra arte com a Galeria MEIA SETE

EUsouMS 2020.png
bottom of page