top of page

Para crianças de ontem, de hoje e de amanhã: ´Cerrado Abierto´ acontece de 1 à 3 de setembro

Programação especial é gratuita e contará com oficinas/apresentações de grupos/artistas de MS, RN, DF, França e Espanha.

Um convite para fazer arte em meio a natureza; um convite para sentar no chão, sentir o ar puro e se encantar com um espetáculo; um convite para se conectar com o meio ambiente por meio das artes; um convite para ser criança ou para voltar a ser! A 4a edição da ´Mostra Cerrado Abierto´, da Arado Cultural, convida as crianças de ontem, de hoje e de amanhã, para espetáculos artísticos, atividades lúdicas (oficinas) e espaços brincantes, nos dias 1, 2 e 3 de setembro, no Parque das Nações Indígenas.


Foto: Vaca azul

Esta edição conta com o incentivo do Fundo Municipal de Investimentos Culturais – FMIC/2021, da Prefeitura Municipal de Campo Grande, por meio da Secretaria Municipal de Cultura e Turismo (Sectur). E tem apoio cultural do SESC Fecomércio de MS.

Com o tema ´Fazendo Arte com crianças, de ontem, de hoje e de amanhã´, a proposta do Cerrado Abierto é promover a fruição de espetáculos de diversas linguagens criados especialmente para as infâncias, proporcionando ações formativas para crianças. E, com isso, sensibilizar e conscientizar os tutores e a sociedade em geral sobre a relevância da arte e da cultura para o desenvolvimento sensível e cognitivo do público infantil. Fauna, flora, meio ambiente e povos originários estão entre os temas das ações.

Conectando as artes e a natureza no Cerrado

“´Tudo é da natureza do mundo´, disse certa vez Conceição do Bugres, artista criadora dos bugrinhos: esculturas em madeira cobertas por cera e tinta que ela confeccionou por mais de 30 anos no MS. É com essa ideia que apresentamos a programação de 2023, na qual humanos e não-humanos se juntam para fruir de apresentações de dança, teatro, música, contação de histórias, oficinas, atividades lúdicas em espaços brincantes ou simplesmente interagir em meio às árvores do Cerrado no Parque das Nações Indígenas”, destaca Renata Leoni, produtora da Arado Cultural.

A Mostra contará com várias oficinas para as crianças. Na sexta-feira (01), às 14 horas, acontece a oficina ´Interações cômica e musicais´, com Caísa Tibúrcio (DF), no Parque das Nações Indígenas (entrada Kadiwéu). Já no sábado (02), serão duas oficinas: ´Contos Dançantes´, com Arborecer (MS/Espanha), às 9 horas, no Parque (entrada Kadiwéu) e, ´Encontros Coreopolíticos´, com Alexandre Américo (RN), às 14h30, no Marco. No domingo (03), às 9 horas, tem a oficina ´Interações cômica e musicais´, com Caísa Tibúrcio (DF), no Parque (entrada Kadiwéu) e, às 15h30, a oficina ´Uma viagem pelos rios brasileiros´, com o Grupo Deslimites (MS), também no Parque (entrada Kadiwéu). Somente para a oficina ´Encontros Coreopolíticos´, com Alexandre Américo, é necessário se inscrever por este link, para as outras oficinas é só ir ao local no dia e horário conforme a programação.

Serão diversas apresentações culturais, entre espetáculos, performances e contação de histórias. Na sexta-feira (01), às 15 horas, haverá a performance participativa ´Para ser árvore´, com Arborecer (MS/Espanha), no Parque (entrada Kadiwéu). No espetáculo, uma bailarina e um músico conduzem o público a uma viagem por uma paisagem onde a natureza é contemplada e decifrada a partir do movimento. Uma trilha ao ar livre guiada pela dança e pela música, onde as árvores inspiram e fazem criar.

Também na sexta, já às 16 horas, a Cie LeMooveNeMent (MS/França), apresenta o espetáculo ´Caos´, no Marco. ´Caos´ é uma criação instalativa com dança, objetos e música. É inspirado no mundo das crianças para ser visto por públicos de todas as idades.

No sábado (02), às 10 horas, a artista Caísa Tibúrcio (DF), apresenta o espetáculo ´Sementes´, no Parque (entrada Kadiwéu). O espetáculo trabalha com a metáfora poética da semente. A criação iniciou com as lembranças de uma brincadeira de criança em que diziam: ´Se você engolir uma semente de fruta nascerá uma planta na sua barriga´. Essas possibilidades e fantasias povoaram a mente da atriz e palhaça Caísa Tibúrcio durante a montagem deste solo.

De tarde, às 14h30, tem contação de histórias, com ´Guadakan, histórias de encantados´, com a indígena Gleycielli Nonato (MS), no Parque (na entrada Kadiwéu). Depois, às 15h30, haverá a performance participativa ´Para ser árvore´, com Arborecer (MS/Espanha), no Parque (entrada Kadiwéu). E, às 16h30, a artista Caísa Tibúrcio (DF), apresenta o espetáculo ´Sementes´, no Parque (entrada Kadiwéu).

No domingo (03) serão três apresentações culturais. Às 10 horas, tem contação de histórias, com ´Guadakan, histórias de encantados´, com a indígena Gleycielli Nonato (MS), no Parque (na entrada Kadiwéu). De tarde, às 14h30, será encenado ´Navegantes´, com o grupo Deslimites (MS), no Parque (na entrada Kadiwéu). Navegantes é um espetáculo de teatro de rua, feito com atores e bonecos, que faz um passeio por riachos, rios e mares, mostrando a vida debaixo da água, com todos seus encantos e problemas. A peça é narrada sob o ponto de vista dos animais, destacando como a degradação ambiental afeta suas vidas.

A programação será encerrada às 16h30 com o espetáculo ´Muximba, o coração sempre permanece criança´, com a Cia Giradança (RN), no Parque (na entrada Kadiwéu). Uma dança para crianças neurodivergentes, uma dança para todas as crianças, em Muximba, a companhia encanta o mundo outra vez ao devolver a arte ao chão, ao piso comum das relações entre coisas humanas e não-humanas dentro do universo da infância, para que possam ser-estar num mundo capaz de lhes admitir e dar sim ao que são.

Aquecimento: preparando o terreno!

Antes do início da programação oficial, o Cerrado Abierto tem realizado algumas ações por Campo Grande. Nos dias 17 e 18 de agosto foi realizada a oficina ´Caos´, com a Cie LeMooveNeMent (MS/França), na Escola Municipal Ana Lúcia de Oliveira Batista. No dia 27, no Parque das Nações Indígenas: oficina de ´Contos Dançantes´, com Arborecer (MS/Espanha); apresentação do espetáculo ´Navegantes´, com o grupo Deslimites (MS) e; oficina ´Uma viagem pelos rios brasileiros´, com o Grupo Deslimites (MS). E, no dia 31, às 12h30, apresentação do espetáculo ´Caos´, da Cie LeMooveNeMent (MS/França), para alunos da Escola Municipal Ana Lúcia de Oliveira Batista. Em todos os finais de semana de agosto, a Mostra contou com um espaço brincante de interação com a natureza, no Parque.

Serviço: a Mostra Cerrado Abierto - ´Fazendo Arte com crianças, de ontem, de hoje e de amanhã´, da Arado Cultural, acontece nos dias 1, 2 e 3 de setembro, no Parque das Nações Indígenas, com programação totalmente gratuita. O portão de entrada ´Kadiwéu´ está localizado ao lado do Marco – Museu de Arte Contemporânea (avenida Antônio Maria Coelho, 6.000). Mais informações em www.cerradoabierto.com.br/ e pelo Instagram.

0 comentário

Comments


Artes Livia  (Story)-3.png

 ÚLTIMAS NOTÍCIAS:  #EUsouMS Entrevista: Descubra arte com a Galeria MEIA SETE

#EUsouMS POSTS-4.png
bottom of page