Campo Grande, Mato Grosso do Sul - Brasil

  • facebook
  • White Twitter Icon
  • Branca Ícone Instagram

© 2020 #EUsouMS 

REVEST PEDRAS CAMPO GRANDE MS.png
juju geleias campo grande.png

Espetáculo-intervenção ‘Deriva’ será apresentado gratuitamente entre os dias 6 e 16 de julho na capital

 

Em julho, nos dias 6, 7, 8, 9, 14, 15 e 16, parques, praças e espaços públicos da capital serão palcos do espetáculo-intervenção ‘Deriva’, um projeto de dança inovador que relaciona corpo, cidade e câmera, do artista sul-mato-grossense Ralfer Campagna. O projeto foi contemplado pelo Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2015 e Prêmio Célio Adolfo de Incentivo à Dança 2016 e, faz parte das comemorações dos 40 anos do estado de Mato Grosso do Sul. As apresentações são gratuitas.

 

Serão sete dias de intervenções por Campo Grande; dia 06, às 16 horas, na Praça do Rádio; dia 07, às 15 horas, na Praça Ary Coelho; dia 08, às 16 horas, na Orla Morena; dia 09, às 11 horas, na Praça da Bolívia e, às 16 horas, no Parque das Nações Indígenas; dia 14, às 17 horas, na Orla Morena; dia 15, às 10 horas, na Praça Ary Coelho e no dia 16, às 17 horas, no Parque das Nações Indígenas.

 

Em cena apresentam-se Ralfer e Jackeline Mourão (artista convidada para somar na criação do trabalho de rua), movimentando-se ora em sincronia, ora não; ora livres, ora sob comandos. Os intérpretes-criadores delimitam superfícies na amplidão do pensar contemporâneo. “O espetáculo parte do propósito de reinventar os espaços urbanos e de como nós nos conectamos aos modos de ocupar e interagir com estes locais. Explora as questões fronteiriças da cidade. Provoca-nos a lançar nossos olhares para os espaços e, a partir disso, criarmos novas possibilidades em dança, por meio das relações entre conexão, invasão e interação”, descreve Ralfer.

 

Processo de criação

 

Atuando na área da dança desde 2009 Ralfer iniciou a carreira com as danças urbanas e participa da Cia Dançurbana, Ginga Cia de Dança e Conectivo Corpomancia. Há cinco anos idealizava este projeto e inscrevia-o em editais públicos e privados, com o objetivo de colocá-lo em prática. Ele conta que nos últimos anos foi amadurecendo a ideia deste trabalho e que os processos artísticos pelo quais passou (nos coletivos) lhe incentivaram a estudar, pesquisar e criar o projeto, buscando novas experiências e a profissionalização como artista da dança.

 

Por ser seu primeiro trabalho como diretor e criador, Ralfer convidou o renomado artista da dança Vanilton Lakka, de Minas Gerais, para participar do processo de criação como orientador do projeto. Lakka tem na bagagem grandes experiências na área. Iniciou com as danças urbanas, ainda na adolescência. Aos poucos foi avançando, estudando dança clássica, moderna e contemporânea. Formou-se em Ciências Sociais, é mestre em Artes pelo PPGArtes da Universidade Federal de Uberlândia, faz doutorado em Artes Cênicas e atua como professor na graduação em dança da Universidade Federal da Bahia (UFBA).  A exploração da relação arte-cidade no ambiente urbano é um dos destaques de suas criações coreográficas.

 

A orientação de Lakka começou de forma virtual, durante meses eles trocaram materiais, vídeos, experiências e ideias pela internet. E, em maio deste ano, o convidado esteve na capital acompanhando os ensaios e contribuindo com a criação deste trabalho de rua.

 

Plataforma virtual e exibições de videodança

 

Além das oito apresentações do espetáculo-intervenção, o projeto conta com a criação de três videodanças e seis exibições dos materiais produzidos. Também será criada a primeira plataforma virtual de Mato Grosso do Sul, como explica Ralfer: “A ideia é que seja um espaço de criação entre a dança e o audiovisual, produzindo e discutindo iniciativas sob esses atravessamentos temáticos na cidade”. O lançamento da plataforma virtual e as exibições das videodanças acontecem nos dias 20 e 21 de julho no BRAVA.

 

Serviço: as apresentações do espetáculo-intervenção acontecem no dia 06, às 16 horas, na Praça do Rádio; dia 07, às 15 horas, na Praça Ary Coelho; dia 08, às 16 horas, na Orla Morena; dia 09, às 11 horas, na Praça da Bolívia e, às 16 horas, no Parque das Nações Indígenas. Na semana seguinte; dia 14, às 17 horas, na Orla Morena; dia 15, às 10 horas, na Praça Ary Coelho e no dia 16, às 17 horas, no Parque das Nações Indígenas. Já o lançamento da plataforma virtual e as exibições das videodanças acontecem nos dias 20 e 21 de julho no Centro Cultural BRAVA, localizado na avenida Calógeras, 3100. Mais informações pelo telefone (67) 9 9238-2829 e pela fanpage https://www.facebook.com/plataformese/?fref=ts.

 

Ficha técnica

Concepção e Direção: Ralfer Campagna

Intérpretes-criadores: Jackeline Mourão e Ralfer Campagna

Orientação e contribuição coreográfica no processo de criação: Vanilton Lakka

Figurino: Ralfer Campagna e Herbert Corrêa

Texto: Maíra Espíndola

Fotografia e Vídeo: Cravo Filmes (Franciella Cavalheri)
Videodanças: Cravo Filmes e Vaca Azul

Projeto gráfico e assessoria na criação do site: Polca Branding

Assessoria de Imprensa: Reconta

 

Realização

Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna 2015

Prêmio Célio Adolfo de Incentivo à Dança 2016

 

Produção

Arado Cultural (Marcos Mattos)

Assistentes de Produção: Maura Menezes e Reginaldo Borges

 

 

Texto: Isabela Ferreira

Fotos: Herbert Corrêa

Please reload

#EUsouMS

Sesc Cultura recebe Exposição de Arte Contemporâne...

19/2/2020

1/10
Please reload

FRATERNIDADE SEM FRONTEIRAS.png
DIA MUNDIAL FSF FEED .png
+ RECENTES
Please reload

stories_harmonia_1080x1920px_HABITAT.png